Médicos juniores na Inglaterra começam a maior greve da história!

por Sophia Alves
0 Comente

A Inglaterra recentemente testemunhou a greve mais longa de médicos júniores até o momento, um protesto de cinco dias que causou interrupções significativas no Serviço Nacional de Saúde (NHS). Esta greve, que começou em 13 de julho e terminou em 18 de julho, foi uma resposta à insatisfação com a remuneração dos médicos júnior.

Durante a greve, milhares de consultas planejadas foram adiadas, enquanto médicos mais experientes preenchiam as lacunas para fornecer cuidados de emergência. Este incidente destaca as tensões existentes entre os profissionais de saúde e o governo, bem como as pressões enfrentadas pelo NHS.

Os médicos júnior, que incluem desde recém-formados até médicos experientes com mais de 10 anos de experiência, expressaram frustração com a recusa do governo em negociar antes da greve. O Secretário de Saúde, Steve Barclay, argumentou que a demanda de 35% de aumento salarial dos médicos era “irrazoável” e que a greve colocaria a segurança do paciente em risco.

Além das greves, os hospitais têm enfrentado outros desafios para retornar à plena capacidade desde o início da pandemia de Covid-19. Estes incluem escassez de pessoal, aumento do número de pacientes de emergência e problemas para dar alta aos pacientes devido à falta de cuidados na comunidade.

A greve dos médicos júnior na Inglaterra é um lembrete da importância de valorizar e apoiar nossos profissionais de saúde. Enquanto o debate sobre a remuneração adequada continua, é essencial que se encontre um equilíbrio que reconheça o trabalho vital que esses profissionais desempenham, ao mesmo tempo em que garante a sustentabilidade do NHS.

Anuncie no uailondres.

Se você viu, seu cliente também.

Saber mais

Deixe um comentário

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

você pode gostar